domingo, 13 de maio de 2018

TRADIÇÃO: Varre sai resgata festa do Divino







Varre Sai resgata e preserva a tradição da Festa do Divino Espírito Santo.
No domingo (20)em Varre Sai a Paróquia de Nossa Senhora das Graças, da Administração Apostólica São João Maria Vianey realiza a tradicional Festa do Divino Espírito Santo. A programação começa com a procissão saindo da Capela Nossa Senhora Aparecida as 9h com destino a Matriz Nossa Senhora das Graças para a celebração da missa e a tarde desfile de tratores máquinas agrícolas e estandes com produtos ligados a agricultura e bênção aos produtores rurais.
Tomé Peregrini recorda a tradição iniciada a 30 anos atrás pelo Padre Antonio de Siqueira realizou duas festas do Divino na cidade, desde então a festa ficou apenas na lembrança dos moradores. Tomé Pelegrini, que foi Imperador a mais de 30 anos atrás. E  atualmente a Imperatriz e o Imperador, são sua filha e seu sobrinho, mantendo na família a preservação desse legado cultural e religioso da cidade.
- Ainda guardo na lembrança o dia que fui Imperador na Festa do Divino. Já faz mais de 30 anos. Eu fui o último, ainda com o Padre Antonio Siqueira. Ano passado, minha filha, Iolanda Filomena Grilo Pelegrini, foi a Imperatriz, e meu sobrinho, Miguel Tobias Medeiros Pelegrinio Imperador da festa. Senti uma alegria muito grande em poder fazer parte dessa história - disse Tomé Pelegrini.
Uma tradição que mobiliza a cidade e atrai visitantes de toda a região. Os preparativos começam vários dias antes com a benção e envio das Bandeiras do Divino, que visitam as casas dos moradores. Nestes dias a Bandeira do Divino  visita as casas e cada família amarra uma fita ao mastro da bandeira e essas fitas são queimadas em  uma grande fogueira no final da festa, informa Tomé.
Na opinião do cantor Toni Rampazzio O resgate e preservação da cultura é muito importante para a cidade. As novas gerações precisam vivenciar isso relata o artista. A tradição religiosa é muito forte na cidade e a festa do Divino tem um forte apelo religioso e popular, uma marca da cultura da cidade que esta sendo preservada.
- Em uma era onde pessoas vivem de vídeos e fotografias do mundo digital, nada melhor do que presenciarem  estas relíquias culturais. A festa do divino é de origem lusitana, e foi se expandido por vários Estados brasileiros. Aqui em Varre-Sai, o saudoso Pe. Antônio  Alves de Siqueira foi um grande incentivador para continuar esta tradição .  A festa ficou durante um bom tempo talvez esquecido, mas agora voltou com força total. Muito importante para a comunidade vivenciar este momento religioso e cultural, que traz informações aos jovens e desconhecedores. É como abrir um livro de história e representar ao vivo. – ressalta Toni.
- A religiosidade do povo é grande! A maioria é descendente de italianos! Seguimos com fervor as comemorações da igreja católica. Quanto a festa do Divino, começa com visita da Bandeira do Divino em todas as residências  .No dia principal da festa tem uma programação extensa: missas, procissão  , leilão,  praça de alimentação  etc. ..A importância  esta no fervor, na integração, enfim na religiosidade do povo. Na devoção! – informa Luci Meri Moraes Tupini.
Emoção e expectativas para o casal que vai representar este ano o Imperador e a Imperatriz. Isabela de Fátima Celebrini, 13 anos e Leoni Benito Pelegrini Paulante de 12 anos estão contando os dias para viver essa experiência religiosa popular, tradição que está sendo resgatada na cidade.
- A solenidade de Pentecostes é marcante para toda a igreja. E o fato de nossa Paróquia celebrar de maneira tão devota esta festa, nos enche de alegria!  A Isabella sempre gostou de participar das comemorações da Igreja desde pequena. Estamos muito felizes por ela ser a Imperatriz do Divino neste ano. Só temos a agradecer a Deus! – relata Isabel Celebrini.mãe da jovem
Mas a emoção é para as famílias que durante esta semana recebem a visita da Bandeira em casa.  Maria d’Aparecida Pires Abib, fala da alegria. “Para minha família é uma honra receber esta Bandeira em nossa casa. Nós somos devotos e já recebemos muitas graças por interseção do Divino Espírito Santo. Todo ano a Bandeira passa aqui e sempre é recebida com muita alegria e devoção.” conta.
- Varre-sai a tradicional festa do Divino já se tornou umas das principais festas religiosas da cidade. A expectativa é muito grande pois a cada ano cresce o número de pessoas que vem participar dos tradicionais festejos do divino. Toda a cidade está sendo preparada pela visita da Bandeira do Divino que visita a todos que abrem suas casas para a Bandeira. Sejam todos muito bem-vindos. Venha conhecer e participar dessa tradicional festa religiosa. Padre Silvano Salvatte Zanon.

Programação
20/05 Dia de Pentecostes
9h – Procissão saindo da Capela N S Aparecida
10h – Missa na Matriz N S das Graças
11h – Almoço
13h30 – Procissão de tratores e bênção

Texto: Ricardo Gomes
Fotos: Messias Correa

sábado, 21 de abril de 2018

Visita do Papa Francisco as Dioceses de Cesena e Bolonha



DISCURSO DO SANTO PADRE FRANCIS AOS MONGES DA CONFEDERAÇÃO BENEDITINA


Reverendo Abade Primaz, 

queridos padres abade, 
queridos irmãos e irmãs,

Saúdo-o por ocasião do 125º aniversário da fundação da Confederação Beneditina e agradeço ao Abade Primaz pelas suas amáveis ​​palavras. Gostaria de expressar toda a minha consideração e gratidão pela importante contribuição que os beneditinos deram à vida da Igreja, em todas as partes do mundo, por quase mil e quinhentos anos. Nesta celebração do Jubileu da Confederação Beneditina queremos recordar, especialmente, o compromisso do Papa Leão XIII , que em 1893 quis unir todos os beneditinos fundada uma casa comum de estudo e oração, aqui em Roma. Agradecemos a Deus por essa inspiração, porque isso levou os beneditinos de todo o mundo a viver um espírito mais profundo de comunhão com a Sé de Pedro e entre eles.
A espiritualidade beneditina é conhecida pelo seu lema: Ora et labora et lege . Oração, trabalho, estudo. Na vida contemplativa, Deus freqüentemente anuncia sua presença de uma maneira inesperada. Com a meditação da Palavra de Deus na lectio divina , somos chamados a permanecer em escuta religiosa à sua voz para viver em constante e alegre obediência. A oração gera em nossos corações, dispostos a receber os dons surpreendentes que Deus está sempre pronto a nos dar, um espírito de fervor renovado que nos leva, através do nosso trabalho diário, a buscar a partilha dos dons da sabedoria de Deus com os outros: com a comunidade, com aqueles que vêm ao mosteiro em busca de Deus (" quaerere Deum"), E com aqueles que estudam em suas escolas, faculdades e universidades. Assim, uma vida espiritual sempre renovada e revigorada é gerada.
Alguns aspectos característicos da época litúrgica pascal, que estamos vivendo, como o anúncio e a surpresa, a pronta resposta e o coração disposto a receber os dons de Deus, fazem parte da vida beneditina de todos os dias. São Bento pede-lhe para a sua regra de "não preferir nada a Cristo" (n. 72), porque estar sempre vigilantes, em ' Hoje , pronto para ouvi-lo e segui-lo docilmente (cfr ivi, Prólogo). O vosso amor pela liturgia, como obra fundamental de Deus na vida monástica, é essencial acima de tudo por vós, permitindo-vos estar na presença viva do Senhor; e é precioso para toda a Igreja, que ao longo dos séculos se beneficiou como água de nascente que irriga e fecunda, alimentando a capacidade de viver, pessoal e comunitariamente, o encontro com o Senhor ressuscitado.
Se São Bento era uma estrela luminosa - como São Gregório Magno a chama - em seu tempo marcado por uma profunda crise de valores e instituições, isso aconteceu porque ele pôde discernir entre o essencial e o secundário na vida espiritual, colocando o centro firmemente no centro. Senhor. Que vocês, seus filhos em nosso tempo, pratiquem o discernimento para reconhecer o que vem do Espírito Santo e o que vem do espírito do mundo ou do espírito do diabo. Discernimento que "não exige apenas uma boa capacidade de raciocínio e senso comum, [mas] é também um dom que deve ser pedido ao Espírito Santo. Sem a sabedoria do discernimento, podemos facilmente nos transformar em fantoches à mercê das tendências do momento "( Exortação Apostólica Gaudete et Exsultate , 166-167).
Nesta época, quando as pessoas estão tão ocupadas que não têm tempo suficiente para ouvir a voz de Deus, seus mosteiros e conventos se tornam como oásis, onde homens e mulheres de todas as idades, origens, culturas e religiões podem descobrir a beleza do silêncio e redescobrir a si mesmo, em harmonia com a criação, permitindo a Deus restaurar uma ordem adequada em suas vidas. O carisma beneditino de acolhida é muito precioso para a nova evangelização, porque lhe dá a oportunidade de acolher a Cristo em todas as pessoas que chegam, ajudando aqueles que buscam a Deus a receber os dons espirituais que Ele reserva para cada um de nós.
Além disso, os beneditinos sempre reconheceram o compromisso com o ecumenismo e o diálogo inter-religioso. Encorajo-vos a continuar neste importante trabalho para a Igreja e para o mundo, colocando a sua tradicional hospitalidade ao seu serviço. De fato, não há oposição entre a vida contemplativa e o serviço dos outros. Os mosteiros beneditinos - tanto nas cidades como longe deles - são locais de oração e hospitalidade. Sua estabilidade também é importante para as pessoas que vêm procurá-lo. Cristo está presente neste encontro: ele está presente no monge, no peregrino, no necessitado.
Sou grato pelo seu serviço em educação e treinamento, aqui em Roma e em muitas partes do mundo. Os beneditinos são conhecidos por serem "uma escola do serviço do Senhor". Exorto-vos a dar aos alunos, juntamente com os conhecimentos e conhecimentos necessários, as ferramentas para que possam crescer na sabedoria que os leva a buscar continuamente a Deus em suas vidas; essa mesma sabedoria que os levará a praticar a compreensão mútua, porque somos todos filhos de Deus, irmãos e irmãs, neste mundo que tem muita sede de paz.
Em conclusão, queridos irmãos e irmãs, espero que a celebração do Jubileu para o aniversário da fundação da Confederação Beneditina seja uma oportunidade frutífera para refletir sobre a busca de Deus e sua sabedoria, e sobre como transmitir sua perene riqueza de forma mais eficaz para gerações futuras.

Por intercessão da Virgem Maria, Mãe da Igreja, em comunhão com a Igreja celeste eo Santos Bento e Escolástica, invoco sobre todos a Bênção Apostólica. E peço-lhe, por favor, que continue a orar por mim. Obrigado.

Reflexão para o IV Domingo da Páscoa, Domingo do Bom Pastor

O Bom Pastor dá a vida pelas ovelhas



Na sociedade Jesus liberta enquanto indistintamente faz o bem. Ele é o pastor universal! Sejamos como Jesus, bons pastores a ponto de nos despojarmos de tudo em favor da felicidade, da salvação 

Pe. Cesar Augusto dos Santos 
No Evangelho deste domingo, Jesus diz que ele é o bom pastor, aquele que dá a vida, se despoja dela em favor do rebanho. Isso ele o fez de fato na cruz. Mas Jesus chegou à cruz porque sua vida foi um constante despojar-se de si mesmo em favor do outro, daqueles que havia recebido do Pai, com a missão de levá-los até Ele.
Jesus realiza essa sua missão onde estão os filhos de Deus: no Templo e na sociedade.
No Templo, Jesus os liberta do jugo dos sacerdotes, que se preocupam mais com a legalidade dos fatos, do que com o bem estar das pessoas. Aqueles que encontram Jesus,  encontram a porta para se libertar de uma religião sufocante e essa mesma porta os conduz para o convívio amoroso e, por isso, libertador com o Pai. Nesse gesto de libertar, Jesus contraria os interesses dos opressores e é condenado à morte. Ele se despoja da vida para que a tenhamos. Por isso, Jesus é o Bom Pastor!     
Na sociedade Jesus liberta enquanto indistintamente faz o bem. Ele é o pastor universal!
Podemos refletir e ver como vivemos esse carisma de Jesus que, pelo batismo, também se tornou nosso. Como pastoreamos nossa família, nossos amigos, nossos colegas e nós mesmos? Somos portas libertadoras, que se abrem para que o outro passe para o encontro com a felicidade? Ou somos porta de uma armadilha, que prende quem se aproxima da gente?
Queridos ouvintes, sejamos como Jesus. Sejamos bons pastores a ponto de nos despojarmos de tudo em favor da felicidade, da salvação eterna de nossos próximos!

Celebrar a Vida


Celebrar 80 anos de Vida é recordar momentos felizes. Para Sr Eraldo Sales Aguiar são boas as lembranças partilhadas com a esposa, companheira de 52 anos, Dona Darcy. Mas momentos que partilhou com amigos e com a bênção do Pe. Maxiliano Barreto..











Cultivar o afeto, o amor nos faz mais humanos





Um olhar no cotidiano. Flores que nascem, crescem, perdem suas pétalas...Assim é a nossa vida. Pelo caminho ficam amigos, familiares e nós temos de continuar a estrada...E nesta caminhada o que deixamos para trás? Um tempo para viver o presente sem olhar para trás, pois podemos recordar de muitos espinhos. Lançar um olhar para o futuro, podemos pensar nos projetos, nos sonhos, mas um olhar para o presente nos coloca diante de tantas realidades. É tempo para renovar a nossa vida, novas alegrias, mas nunca esquecendo de cultivar o afeto, o amor, a amizade, a fraternidade. Desta forma podemos vislumbrar um mundo de paz, superando as violências do cotidiano.
Estes dias que preparo para celebrar mais um ano devida, me deparo com muitas situações. As tristes prefiro guardar no coração, não com mágoas, mas como um momento para refletir. Onde errei, oque poderia ser evitado..Mas a alegria é rever tantas alegrias...



Deparo com tantas flores..flores perfumadas que me faz sonhar com um mundo novo,,de paz...e recordo de muitos amores...Alegro-me em estar com minha muito amada Dona Conceição..E nunca perco em estar com ela, ganhar o abraço e o beijo afetuoso de uma mãe...até penso..será que nós a adotamos por mãe ou ela sempre nos amou..
Ai vem a lembrança da infância no Colégio Estadual Coronel Antônio Batista, ali com carinho e afeto nos oferecia do pouco que tinha, uma sopa com farinha de quibe, algumas vezes com legumes que cada um levada de casa...Uma sopinha com um sabor de amor...de ternura.
Ai vem a lembrança professores...Na segunda série uma muito querida...Marinete dos Santos  Cruz..depois de amos,,a vejo numa festa de Santo Amaro..Tanta saudade, recordações...Ai o tempo passa, triste ao saber de um amigo inesquecível que falecera...Genilon de Souza Pinto, amigo, irmão de muitas lutas...Partiu...mas do céu está uma estrela,,com o brilho de seu sorriso...ainda ouço sua voz...fala barão, como me chamava...escrevo esta crônica om lágrimas nos olhos e uma saudade,,mas com uma mensagem..Meu amigo Nito como nós costumavam chama-lo...Nunca o esqueceremos... Fica na paz...a sua lembrança sempre o traz a nossa presença, pois se vê melhor quem vê com coração, parafraseando O pequeno príncipe..
Gostaria de continuar, mas a emoção fala muito alto...Quero falar de alegrias,,e acabo dando um salto no tempo...Ano passado, fui tomado pela alegria, pela emoção..Pude rever três estrelinhas muito preciosas,,e uma palavra simples, saber que somos amados..
Quero falar de meus pequenos grandes amores: Filpe, Maria Clara e João, este meu pequeno grande menino...E não posso esquecer o nosso bebê, Igor Rosa, Tiago, Luciano Velasco...Yasmi,que sempre me abraçava, e a famosa frase,,,,,dá besinho,,Menina como vc cresceu....mas nunca se esqueça que sempre terei o amor maior do mundo, e no meu coração,,,a alegria desses grandes amores...
E assim vamos guardando essas lembranças..Se fosse colocar todas as emoções provavelmente não teria como recordar muitas coisas...minhas experiências, minhas vitórias...Mas o tempo é nosso amigo, quando nos faz esquecer tantas coisas...Mas o tempo nos dá muitas lições...basta aprender que a maior lição é que nunca devemos ter medo da ternura, do afeto e nunca deixemos de falar...te amo, você é muito importante para a minha vida, um presente de Deus...talvez se tivermos medo de falar, pode ser que amanhã seja tarde...a vida é um sopro, passa rápido, mas as flores que plantamos sempre será a nossa recordação...então é tempo de cultivar o afeto, o amor e nos fazermos mais humanos e assim nos aproximarmos de Deus...


Imagem relacionada


quinta-feira, 19 de abril de 2018

Moradores preservam patrimônio no distrito de Santo Amaro. Projeto visa resgatar as histórias da baixada campista.




Casario preservado. No distrito de Santo Amaro famílias preservam residenciais históricas. Obra do mestre de carpintaria Albertinho português, que fez obras de reforma e ampliação na igreja de Santo Amaro a residência da família Neves e um exemplo de patrimônio preservado e abriga os familiares. A construção de 1927 passou por adaptações, mas manteve a fachada original. Todo projeto de restauração foi planejado pelo Projetista e Técnico em Edificações, Jorge Bento Neves Pereira.
- Nasci e cresci nessa casa de minha família, e quando me casei em Niterói ao retornar a Santo Amaro resolvi investir na preservação da residência. Fizemos uma adaptação no interior, mas a fachada original foi mantida e uma das casas mais antigas que está preservada pelos proprietários. E uma obra que tem um valor familiar. Meu pai, falecido foi aprendiz desse mestre português que deixou essa importante obra no distrito. – disse Jorge Bento.
A família Neves é uma das mais tradicionais em Santo Amaro. Adauto Neves residiu na residência e teve um trabalho de destaque. Foi Juiz de Paz no cartório de registro da comunidade alem de ser construtor de casas participando das obras realizadas no distrito, destacando a grande reforma realizada na igreja de Santo Amaro, por ocasião da construção das torres, um projeto coordenado pelo mestre português.
Contador de histórias e estórias relatava um tempo que Santo Amaro teve projeção no cenário político, com a conquista de melhorias trazidas pelo líder político Manoel Gonçalves. O distrito era visitado por governadores e políticos da esfera nacional. Muitas das histórias foram contadas por Adauto Neves recordando fatos que aconteceram. O serviço de distribuição de água aos moradores que chegava pelos trilhos da ferrovia. E a memória das festas do padroeiro da Baixada Campista.
Resgatar essas histórias é um desafio para o pesquisador de Cultura Popular, Ricardo Gomes. Uma pesquisa minuciosa está sendo organizada para compor a memória da região. As bandas de musica, o trabalho dos monges beneditinos que neste ano completam 370 anos de presença na cidade.
- Tenho uma média de 20 anos de pesquisas sobre o distrito de Santo Amaro e nesse projeto o objetivo é reunir tudo para a criação de um memorial que possa reunir toda a memória social, histórica e religiosa. Muito se perdeu com o tempo, ma ainda é tempo de reunir tudo, já que Santo Amaro tem muitas histórias de um tempo que pelo distrito era centro de decisões até da política nacional. Basta perceber que personalidades do mundo da política passavam pela comunidade. Destacamos o General Pinheiro Machado em sua residência na Boa Vista. Histórias que estavam se perdendo no tempo e na história. - destaca Ricardo Gomes.

Dentre os projetos dos moradores esta a luta pela recuperação da estação ferroviária do distrito. Jorge Bento fala do prédio e da importância para o distrito. E adverte do perigo de desabamento do prédio, ameaçando crianças que brincam nas proximidades do prédio. Lamenta a falta de preservação deste patrimônio.
- Em Santo Amaro o prédio da antiga estação tem um valor histórico. Um prédio que poderia ser aproveitado para abrigar a memória dos moradores. Desde criança já percebia a necessidade de restaurar o prédio, e para se ter uma idéia, as telhas foram importadas da França. Estes dias resolvi guardar uma telha para  mostrar o que isso representa. Já perdemos o Sobrado da Boa Vista,e ainda há tempo para resgatar a velha estação, lugar de muitas memórias e recordações de um tempo que não volta mais. – conclui Jorge Bento.


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu, árvore, grama, atividades ao ar livre e natureza
A imagem pode conter: céu, árvore, grama, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: casa e atividades ao ar livre


O Sobrado da Boa Vista foi o local que inspirou o escritor  campista José Cândido de Carvalho para escrever o clássico O Coronel e o lobisomem...eternizado no cinema em duas produções
cinematográficas





Prédio da antiga estação ferroviária de Santo Amaro e no detalhe a telha importada da França...

Agradecimentos
A Escola Municipal Olavo Saldanha por ceder as fotos antigas do Solar da Boa Vista