terça-feira, 29 de agosto de 2017

Fragmentos de Arte Sacra

A imagem pode conter: texto

Não se trata de um estudo sobre a arte sacra presente em algumas das Igrejas de Campos, mas fragmentos que ajudam a cotar histórias. Quem visita essas igrejas pode apreciar obras de grande valor artístico. Desvendar a origem é um pouco complicado. Nos quatro séculos de presença dos monges beneditinos em Campos e resgatando um pouco da obra dos religiosos

A Igreja de Santo Amaro, obra dos monges foi construída em etapas. E nesta igreja dois grandes tesouros da arte beneditina: a imagem primitiva que trouxe a região a devoção e a em madeira no altar desde 1789, obra do escultor seiscentista Frei Domingos da Conceição, de origem portuguesa e professo no Mosteiro do Rio de Janeiro. Do artista segundo Dom Clemente Silva Nigra foi autor das imagens de São Bento e Santa Escolástica esculpidas para a inauguração em 1641 da igreja abacial no Rio de Janeiro.
Nenhum texto alternativo automático disponível.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

“ Cronologicamente é a mais antiga das quatro imagens de madeira. Tem de altura 1,21m. Parece reprodução da imagem de São Bento, de Parnaíba feita em barro por Frei Agostinho da Piedade. Permaneceu no Rio de Janeiro em seu altar na igreja de São Bento do Rio de Janeiro, até 1789, foi substituída pela imagem que hoje ali se encontra, sendo então transferida para o arraial de Santo Amaro, hoje fim da linha férrea no Estado do Rio de Janeiro, onde goza de extraordinária devoção do povo.” Cf Silva NIgra.


Um breve extrato da biografia de Frei Domingos da Conceição. Ainda segundo Silva Nigra Frei Domingos da Conceição Silva antes de vestir o hábito monástico em 1690, se chamava Domingos Silva e tem sua vida e obra ligada ao Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro, e ficou conhecido por sua obra em escultura em madeira. Veio a falecer em 1718. Natural do Matosinhos, nasceu por volta de 1643, se tornando escultor aprendendo a arte com algum mestre português. 

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Com a imagem de Nossa Senhora Aparecida, Dom Milton concede benção no final da 62ª Festa do Peão de Barretos

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas praticando esportes, estádio e atividades ao ar livre

Este foi o terceiro ano consecutivo da entronização da imagem na arena de rodeios de Barretos
 A imagem pode conter: 1 pessoa
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas praticando esportes, estádio e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, criança, multidão, estádio e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas em pé


Na noite do último dia da 62ª Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos, pelo terceiro ano consecutivo, o bispo diocesano de Barretos, Dom Milton Kenan Júnior, e o administrador da Quase Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Minibasílica), padre Davis Pedott, entronizaram a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida na arena de rodeios do Parque do Peão.

Os católicos presentes nas arquibancadas ficaram de pé e em gesto de devoção retiraram seus chapéus e aclamaram a padroeira do Brasil com palmas motivados pelos versos do locutor de rodeis Cuiabano Lima.
Dom Milton falou aos presentes que neste ano, de maneira muito especial, comemoram-se os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição no rio Paraíba do Sul.

“Essa imagem simboliza para nós a presença daquela que Jesus nos deu para ser a nossa Mãe. Ela está gravada no coração do peão. Ela está gravada no coração de todo católico brasileiro. Ela é para nós um testemunho de que nós brasileiros não somos órfãos. Nós temos Deus como Pai e temos a Mãe de Jesus como a nossa mãe”, enfatizou o bispo diocesano.

Depois invocou a bênção de Deus o público presente na arena, aos peões, a todos os que trabalharam no evento este ano e à Associação Os Independentes.

Fotos: Milton Figueiredo

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Leigos e Leigas na Igreja e no Mundo

A imagem pode conter: 1 pessoa


Pe. Marcos Sandrini SDB *
Há palavras que ficam marcadas no decorrer dos tempos. Umas são marcadas positivamente e outras, negativamente. Assim, na linguagem comum, leigo significa uma pessoa por fora do assunto ou ignorante. Isto tem sua explicação. Com o crescimento do clericalismo na Igreja, os leigos foram sendo colocados de lado e ignorados. Aos poucos vamos virando esta história.
O Concílio Vaticano II dedicou um documento inteiro justamente aos leigos. É o Apostolicam Actuositatem.  É nesta perspectiva que trato deste assunto.
·         O Batismo é o ponto de partida
O Batismo insere todos os cristãos na Igreja de Jesus. Santo Agostinho dizia que “convosco sou cristão e para vós sou bispo”. O ponto de partida é a igualdade fundamental, isto é, convosco sou cristão. Se há algo que nos diferencia é o serviço, a missão que cada cristão recebe, isto é, para vós sou bispo.
Assim, na Igreja de Jesus somos todos iguais. Não há menor e nem maior. Só há irmãos. Somos imagens e semelhança de Deus. As três pessoas divinas são iguais: o Pai, o Filho e o Espírito Santo participam da mesma igualdade embora sendo diferentes. As diferenças nunca significam desigualdade, mas a riqueza da igualdade e da fraternidade.
·         A tríplice missão dos leigos e leigas
Na Igreja, os leigos são todos os que se distinguem dos ministros ordenados: diáconos, sacerdotes e bispos. Distinguem-se dos ordenados por sua missão no mundo. Cada leigo exerce sua missão de três formas.
A primeira delas é em seu estado de vida. A maioria absoluta dos leigos, pelo sacramento do matrimônio, são esposos e esposas, filhos e filhas, irmãos e irmãs. A família a primeira missão dos leigos e leigas na Igreja. Cuidar da família é o primeiro apostolado leigo.
Depois, a presença no mundo. Cada um e cada uma tem uma profissão. É nesta profissão que se exerce a missão laical. Cada cristão assume sua profissionalidade e é nela que se santifica e exerce seu apostolado. O leigo é cristão enquanto médico, enquanto agricultor, enquanto bancário, enquanto professor, enquanto comerciante ou comerciário. Nenhum espaço fica sem a presença dos cristãos e cristãs. Os leigos são cristãos seculares, isto é, vivem na realidade do mundo e nela se santificam.
Finalmente, os cristãos leigos também são participantes da vida da comunidade eclesial. Dedicam um pouco de seu tempo para construí-la, sendo presença nas diversas pastorais eclesiais. Sem os leigos nenhuma pastoral tem possibilidade de avançar.
·         Espiritualidade dos leigos
Tudo isto é alimentado por uma espiritualidade intensa. Espiritualidade é tudo o que produz vida. A espiritualidade do leigo se alimenta na comunhão intensa com o Pai, o Filho e o Espírito Santo para ser presença transformadora no mundo. Onde houver um batizado, a Igreja está presente como fermento na massa, como transformação para melhor.
* Coordenador de Assuntos Comunitários da Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre


sexta-feira, 11 de agosto de 2017

O tempo e a esperança

A imagem pode conter: pessoas em pé e flor


Olhando os rios. A mesma água nunca voltará a passar pela mesma ponte. Para muitos fica a saudade, mas também a esperança de novas águas. E assim passa o tempo. Tempo e esperança que se encontram na foz de um rio que passa pelas cidades e se desfaz nas águas turbulentas do mar. Ai uma luta que se repete a cada dia, cada minuto, cada segundo. E ao chegar ao mar o encontro das águas num espetáculo de beleza.
Olhando as águas que correm recordamos de tantas vezes que revoltas nos trouxeram o pavor, mas quando vem a calmaria a beleza. Águas que carregam nas impurezas das cidades por onde passam recordam a nossa vida, muitas vezes carregadas de momentos de tristeza que nem sempre queremos recordar.

Um dia numa crônica de despedida carregava um momento dessas recordações. Águas carregadas de poluentes, mas não o poluente que com o tempo passa, mas a tristeza de recordar que um dia, era embalado de calmaria. Mas com o tempo se tornou em águas revoltas. Que triste ver que o ser humano é muitas vezes protagonista de tantas tristes recordações e que preferem ser água revolta a ser calmaria. E acabam matando esperanças, sonhos e projetos. Mas tudo passa na vida até a vida e não valeria perder tempo com essas recordações, mas que marcam... Marcas indeléveis, mas que nem o tempo e a esperança conseguem apagar...

Matriz de Italva vai receber vitrais sacros

Texto e Fotos
Ricardo Gomes

A imagem pode conter: céu, planta, mesa e atividades ao ar livre

Vista noturna da Matriz da Imaculada Conceição


Um dos cartões postais da cidade de Italva a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição esta investindo no Projeto de Turismo religioso com o objetivo de gerar divisas para o município.
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas, criança e atividades ao ar livre

A Praça da Matriz é um lugar para um bate papo: amigos que recordam tempos bons e as histórias do local.


Localizada bem na chegada da cidade de Italva, a Igreja Matriz de Italva está investindo no turismo religioso. Aos domingos recebe visitantes de várias cidades do Estado do Rio de Janeiro e esta organizando uma campanha para a troca das janelas por vitrais sacros. Um projeto que visa dar além da beleza e um clima de espiritualidade a igreja matriz. Os vitrais retratarão momentos da vida de Nossa Senhora e a expectativa é de ser inaugurada a primeira fase na abertura da festa da padroeira.
Confiante na comunidade católica da cidade, Pe. Maxiliano Barreto já começou a preparar para dar inicio ao projeto que no lançamento já obteve aprovação da sociedade que abraçou o projeto. Segundo o padre um sonho que começa a se tornar realidade. No mês passado foi entregue os envelopes para a contribuição já visando o pagamento da primeira parcela a empresa contratada para a execução do trabalho.
- Nossa comunidade recebeu o desafio e já demonstrou que mesmo diante das dificuldades financeiras tudo para tornar a nossa igreja um lugar onde a beleza é a expressão da presença de Deus e nos levar a espiritualidade e a oração. Vamos já preparar para a execução deste projeto inovador. E vamos inaugurar na abertura do novenário da nossa padroeira, a Imaculada Conceição. - disse o padre.


Com mais esse projeto a comunidade católica destaca o trabalho realizado pelo Pe. Maxiliano Barreto em oito anos a frente da Paróquia Nossa Senhora da Conceição. O padre destaca as dificuldades, mas ressalta o compromisso dos católicos que abraçam todos os projetos já realizados desde a sua chegada a cidade. Uma das lutas foi a colocação de sistema de ar condicionado na igreja. E agora iniciando o projeto da instalação dos vitrais sacros.

- Desde a minha chegada a Italva foram muitos os desafios. E graças a Deus e ao apoio da sociedade conseguimos realizar todas as melhorias que eram mais urgentes, mas o meu sonho era a colocação dos vitrais sacros na igreja. Um sonho que vou realizar juntamente com a nossa a comunidade católica. Assim mais um projeto que iniciamos já com total apoio de todos. – conclui Padre Maxiliano.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Feliz dia dos Pais: Noite de homenagens da Catequese São Francisco de Italva

A imagem pode conter: 9 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, criança e área interna
A imagem pode conter: 18 pessoas, pessoas sorrindo

O cansaço nunca pode tirar a ternura, a amizade e o amor demonstrado por gestos sinceros de um pai que nunca se deixa abater no combate e a luta diária..

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas, criança e close-up
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e close-up
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, criança e close-up
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas
A imagem pode conter: 2 pessoas, close-up
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e criança
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e criança


Pais, sinais da ternura firme e misericordiosa de Deus
Dom Roberto Francisco Ferreria Paz
Bispo  de Campos (RJ)

Neste domingo, 19º do tempo comum, à luz do Evangelho da barca que foi sacudida pela tempestade no mar de Tiberiades e a calmaria que se seguiu quando Jesus mostrou seu poder sobre o mar embravecido, comemoramos a vocação e a missão de ser pai. Como os apóstolos, os pais tomam conta da barca da família que enfrenta a hostilidade de ventos contrários e ondas que parecem ameaçar a pequena Igreja doméstica familiar. É compreensível sentirem medo, perplexidade e até dúvidas sobre a sua capacidade de superar tamanhos desafios. Porém, além das suas forças e potencialidades, os pais não podem renunciar ao poder da sua fé e à missão divina para a qual foram chamados.
À diferença de Pedro, que se deixou assustar pelo tamanho das ondas, perdendo o foco da visão do rosto de Cristo, os pais, no meio do furacão das crises, centrarão sua mente e coração na presença do Bom Pastor conduzindo o leme da família a quatro mãos com Ele. Assim, contando com a luz e a fortaleza da fé, tornar-se- ão líderes servidores e edificadores da comunidade familiar, testemunhando diante dos filhos a coragem e a responsabilidade de dar a vida pelo lar.
Com a força da ternura, da prudência enérgica e diálogo permanente, conseguirão, não sem esforço, trazer a calmaria da paz que o lar cristão oferece aos seus. É de destacar que o dom e a experiência da fé tem tudo a ver com o Pai das misericórdias, que desperta em nós a confiança que tem uma criança que está num muro alto e que se lança sem pestanhar aos braços do pai sabendo que este irá pegá-lo com carinho e
alegria. Ou, ainda, aquela historinha que nos apresenta um barquinho de pesca em alto mar, no meio de uma tempestade violenta, com os pescadores apavorados e uma criança tranquila brincando com um carrinho, quando perguntado se não tinha medo, ele respondeu sorrindo: Não, porque meu pai está no leme!. Que bom é ter um pai no leme da nossa família, com ele a paz começa em casa! Que o Pai dos céus abençoe, proteja e encoraje a nossos amados pais!
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

AMOR DE PAI
Rosto cansado. Muitas vezes o herói quase cai no combate, mas mesmo assim basta o filho o receber com o abraço, um beijo carinhoso e o homem cansado ganha a força de um super herói, que neste momento volta a um tempo que se passou, mas na alma a criança ressurge para brincar, receber nos braços o pequeno herdeiro.
Assim é o amor de pai. Um amor que se renova a cada olhar de seus pequenos ou os mais crescidinhos, mas que para eles serão eternamente crianças...Amor que se renova e faz ressurgir a cada momento o herói, ou super herói que não usa armas ,mas o coração. Parabéns pais, heróis de nossas pequenos...


sábado, 5 de agosto de 2017

APARECIDA - 300 ANOS - AS CRÔNICAS DE UM PADRE

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu, multidão e atividades ao ar livre


A imagem pode conter: 14 pessoas, pessoas sorrindo, área interna


Eu, padre Rafael Lugão, transferido para Nova Iguaçu em 2013, recebi uma proposta de amigos paroquianos desta mesma cidade, de irmos em bike romaria a Aparecida do Norte. Esse projeto se realizou apenas em agosto de 2015. Éramos nesta ocasião 4 ciclistas e fizemos o caminho mais direto passando pela Rodovia Pres. Dutra em três dias.
Até então não éramos um grupo oficial como o somos hoje, os Ciclo Romeiros. A oficialização se deu dia 31 de janeiro de 2016 numa ciclo romaria ao Santuário de Porto das Caixas em Itaboraí. Em julho deste mesmo ano, já éramos  11 ciclistas  que também realizaram o grande sonho de ir de bicicleta a Aparecida em Romaria.
Os Ciclo Romeiros já tem no currículo 8 bike romarias no total sem contar a primeira quando ainda nem se quer tínhamos a pretensão de criar um grupo oficial. Porém a mais bela ciclo romaria se deu em julho deste ano. Éramos 14 ciclistas de Nossa Senhora que pedalaram animosamente até o Santuário Nacional em três dias. Foi incrível! Passamos por belíssimas paisagens entre cidades históricas e fazendas antigas. Com a benção do Bispo diocesano, Dom Luciano Bergamin, saímos   de Nova Iguaçu cruzando o Estado de São Paulo pela antiga Rodovia dos Tropeiros por onde passaram abundantes riquezas das Minas Gerais até os portos do Rio de Janeiro nos idos dos séc XVIII.
Entre as belas cidades com seus casarios coloniais e igrejas antigas, se destaca Bananal-SP, que no apogeu do ciclo do café, se tornou a cidade mais rica do Brasil no séc XIX. E assim, os Ciclo Romeiros concluíram mais uma aventura pedalando no quarto e ultimo dia os 8 km restantes de Guaratinguetá a Aparecida.
Era um domingo esplendoroso com céu azul e clima agradável. Passamos diante da imagem da Padroeira do Brasil e fomos ao Porto de Itaguaçu para concluirmos a romaria com a Santa Missa. Haviam mais de 200 pessoas na capela do Porto para acolher os ciclistas e foi impossível conter as lágrimas das esposas e filhos ao se abraçarem entre as bicicletas.
A título de nota de roda pé, os ciclo romeiros são os únicos no Brasil que fazem suas ciclo viagens em grupo, sem carro de apoio e levam tudo que precisam em seus alforges traseiros. Nós nos notabilizamos por onde passamos por essa essencial característica sem a qual não se faz parte do grupo. "Mais que ciclistas, somos Ciclo Romeiros!


A imagem pode conter: 15 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, céu e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: 1 pessoa, céu e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, céu e atividades ao ar livre

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Um olhar investigador

A imagem pode conter: 1 pessoa, mesa e atividades ao ar livre


Na sala de exposições alguns objetos das estações ferroviárias. Lanternas sinaleiros, uma réplica de um bonde, um telégrafo, máquinas de escrever, um troiler, e a frente um pequeno observador. Olhos atentos a tudo, nos lábios uma pergunta... Aos 9 anos de idade já gosta de música. Estuda e já é um pequeno musicista em seu teclado mágico onde arranca sons. Ao lado a avó, orgulhosa comenta: Este menino gosta de arte, a música é a sua diversão diária. Calado mas observador dispara perguntas.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, em pé e criança

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Ao se deparar com as lanternas sinaleiro pergunta... Para que serve? Nem tive tempo para pensar, mas como já conhecia um pouco falei: nos tempos antigos, a chegada de um trem exigia muito, nas estações não tinha luz e para isso usavam as lanternas maiores. Já as lanternas menores sinalizavam e ai surgia um personagem: o guarda chaves. Era um funcionário que virava a chave para o trem manobrar...hoje essa tarefa é feita por instrumentos instalados em pontos estratégicos...
Ai me vem a recordação de nosso antigo guarda chaves, ainda em Santo Amaro. Ao mesmo tempo meu pensamento voltava ao Rio e as experiências das estações ferroviárias...mas a viagem ao longo da história continua diante dos olhos  de nosso pequeno investigador.

A imagem pode conter: 1 pessoa, área interna


As peças começam a atrair a sua curiosidade. Uma pequena máquina de escrever. Dispara o nosso pequeno....Gostaria muito de ter uma dessas..e diante dos olhos curiosos um aparelho cheio de botões... Falei,,,isso é um telégrafo, usado nas estações para avisar a proximidade de um trem, já que o trem que estivesse parado seria levado a um desvio e lá a figura do guarda chaves....

A imagem pode conter: área interna

A imagem pode conter: pessoas sentadas, mesa e área interna

A imagem pode conter: área interna
A imagem pode conter: área interna

Nenhum texto alternativo automático disponível.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, área interna

Ai esta o menino..pequeno investigador..por onde deve estar hoje? andando por entre peças, a curiosidade aguçada,,os olhos vivos, mas um coração puro e a despedida, num abraço uma palavra silenciada,,até breve, talvez te encontre um dia, os olhos de um pequeno investigador....


As peças começam a atrair a sua curiosidade. Uma pequena máquina de escrever. Dispara o nosso pequeno....Gostaria muito de ter uma dessas..e diante dos olhos curiosos um aparelho cheio de botões... Falei,,,isso é um telégrafo, usado nas estações para avisar a proximidade de um trem, já que o trem que estivesse parado seria levado a um desvio e lá a figura do guarda chaves....
A visita continua. Um tablado de madeira com alguns objetos e rodas de trem...ai falei nos tempos primitivos as ferrovias usavam aquele transporte para os empregados fazerem reparos, de pé empurravam sob os trilhos com hastes de ferro e o troiller deslizava nos trilhos, silencioso, lento, e com o tempo foi parar num museu...
Ai termino com um abraço no pequeno investigador e certamente nunca mais o verei, mas ao voltar ao museu recordarei daquele menino de 9 anos, curioso e querendo entender aquela viagem mágica ao tempo das locomotivas que movidas a lenha corriam sobre os trilhos transportando sonhos, alegrias e até mesmo produtos....Em Santo Amaro o sonho esta sendo pesadelo e a estação ainda teima a ficar de pé para contar as histórias...
Muitos já partiram ....Mas a história não deixa calar, mesmo por termos ainda muitos pequenos investigadores para ouvir nossas histórias...nossas pequenas histórias,,,,e o menino de 9 anos esta por ai, com olhos sedentos de conhecimentos, de histórias....Dedico a duas amigas, duas grandes amigas: Sylvia Paes e Marinéia....contadoras das histórias de gente que ainda anda por museus, praças e buscando ouvir a voz do tempo...tempo.....e tempo.....


quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Crônicas de uma vida

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas e área interna


Ricardo Gomes

Passos lentos. Os anos começam a pesar. No rosto as marcas do tempo e a alegria constante. Assim caminha Maria da Conceição Ramos. Uma guerreira que não se deixa abater nos seus quase 90 anos. Dona Conceição é uma mulher forte, que se alegra a cada dia com a chegada de milhares de amigos que a visitam em sua casinha em Santo Amaro.
Na sala o reconhecimento em forma de troféus que recebera nos anos de dedicação a Cavalhada de Santo Amaro. Nos braços a imagem do santo de sua devoção desde os tempos de sua juventude na terra Quissamã. Dos pais herdou a devoção ao seu querido Amaro Santo.
Contar um pouco de história de sua vida é um resgate de uma vida, um memorial que registra um pouco da trama na terra do coronel, coronéis e porque não dizer dos lobisomens que saem das histórias e estórias fantásticas para povoar o imaginário social de um povo que ressurge a cada dia das cinzas para renovar a sua saga. Uma saga de homens e mulheres que ao longo dos anos tombaram. Recordações de Manoel e Irineu Gonçalves, homens que lutavam por seu torrão natal. Um Ageu Macabú, proprietário rural e vereador. Ah de Ageu recordo aqueles que trabalhavam a terra. Irineu Miguel Inácio e seu filho Amaro, Seu Neném e o filho Nalito, e por ai temos um numero incontável de homens,,, heróis que morreram e nos deixaram a herança de dignidade.

Nestes dias a jovem senhora cuidava de seus filhos José Miguel e Rita de Cássia, mas de uma multidão incontável de meninos e meninas na escola Coronel Antônio Batista. Saudades desse tempo...a mulher que cuidava dessas gerações. Em tempo de dificuldades, mas tudo feito com muito carinho. E pr ai segue um pouco da vida, saga e legado de uma mulher forte, uma guerreira que não se deixa tombar com o peso da idade,,mas conservando a ternura e o olhar amoroso...

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas e área interna


quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Uma mulher guerreira

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas, mesa, sala de estar e área interna
A guerreira que nunca se deixa abater, no rosto a marca de naos vividos, no sorriso a alegria de ter doado sua vida em favor da terra que a recebeu desde os tempos de sua juventude. Nunca perdeu a ternura do afeto, do abraço, do maternal aconchego. Nunca perdeu a alegria..Passos lentos não demonstram cansaço, mas traduzem em amor, afeto, alegria de quem nunca perde a esperança....Mulher guerreira, Mulher que é sinal de um Deus amor...

Passos lentos, mas um coração repleto de amor....Dona Conceição, nós te amamos.....
A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado, óculos e área interna


Nos braços e no coração seu Amaro santo, das recordações da terra natal, da devoção cultivada por seu pai na Quissamã de outrora de onde veio para nos brindar com essa presença amorosa,,,se tornou mãe de gerações, gerações que passaram pela nossa escola de infância....Nossa querida ,,,o amor de todos nós....

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Coisas de Lalinha


Quem festeja e quem acontece. Um passeio com Lalinha



Ricardo Gomes em temporada de descanso. Passou semana passada por Campos do Jordão e no retorno ficou na cidade imperial. Muitos contatos e trabalhos de pesquisa sobre os 500 anos da Reforma Protestante

Na Agenda

* Resgatar as histórias e fatos importantes que marcaram a história da igreja católica e da Praça do Santíssimo Salvador, palco de encontros políticos, culturais e religiosos. Este é o projeto desenvolvido pelo pesquisador Ricardo Gomes, reunindo relatos e fotos contando as transformações do espaço a partir do desenvolvimento urbano e as transformações da praça. O livro vai reunir os vários olhares sobre o espaço, com textos de jornalistas, historiadores e religiosos. O lançamento está sendo planejado para o ano que vem, já nas comemorações dos 370 anos de presença dos monges beneditinos em Campos.
* Em Santo Amaro, moradores reivindicam a reforma e restauração do prédio da Estação Ferroviária do distrito. Cansados das promessas, estão organizando um movimento para sensibilizar o Prefeito Rafael Diniz com o objetivo de iniciar o processo de desapropriação do prédio, a fim de instalar um Centro Histórico e Cultural.

Programação da Semana Euclidiana em São José do Rio Pardo/ SP


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Programação Semana Euclidiana 2017




Programação Ciclo de Estudos da Semana Euclidiana 2017

TEMA: “EUCLIDES COMO ESCRITOR POLÍTICO”

CONVITE:
A Prefeitura Municipal de São José do Rio Pardo, o Departamento de Esportes e Cultura e a Casa de Cultura Euclides da Cunha convidam V. Sª e família para participarem dos eventos da Semana Euclidiana com o tema: “Euclides como escritor político”.

Ernani Christovam Vasconcellos
Prefeito Municipal

Reinaldo Milan
Vice-Prefeito Municipal

Iury Feres Abrão
Diretor Presidente do DEC

Ana Paula de Paulo Pereira de Lacerda
Diretora de Cultura
Curadora da Casa de Cultura Euclides da Cunha

Homenageados:
  • Antônio Fernando Torres
  • Lando Lofrano
  • Rodolpho José Del Guerra

Conferencista de Abertura:
  • Rachel Aparecida Bueno

Conferencista Oficial:
  • Pedro Lima Vasconcellos

Orador de Encerramento:
  • Leandro Leal de Freitas


PROFESSORES

Alex Vieitas
Especialização em Gestão Empresarial Estratégica / Administração de Empresas – Universidade Cândido Mendes / Membro do GEAC

Bárbara Ramos Dal Fabbro
Pós-graduação em Docência do Ensino Superior / Jornalista – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Cátia de Paula Nazária Inácio
Pós-graduanda em História, Sociedade e Cultura - Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP) / Licenciatura em Ciências Sociais – UNESP Araraquara / Vencedora da Maratona Intelectual Euclidiana (Área III) nos anos 2008, 2013, 2014 e 2015

Célia Mariana Franchi Fernandes da Silva
Graduação em Letras Clássicas (Português e Grego) – Universidade de São Paulo (USP)

Guilherme Félice Garcia
Pós-graduação em História - UNESP Araraquara / Graduação em História e Pedagogia - Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Pardo (FFCL) / Membro do Conselho Euclidiano

Joel Silva
Formado em Fotografia pela Escola de Artes de Bauhaus / Fotojornalista do Jornal Folha de São Paulo

Léa Costa Santana Dias
Doutorado em Literatura e Cultura – Universidade Federal da Bahia (UFBA) / Mestrado em Literatura e Diversidade Cultural – Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) / Licenciatura Plena em Letras com Inglês – Centro de Ensino Superior do Vale do São Francisco (CESVASF)

Leandro Leal de Freitas
Doutorando em Educação – Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) / Mestrado em Ciência Política – Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) / Especialização em Ensino de Sociologia – Universidade de São Paulo (USP) / Bacharelado e Licenciatura em Ciências Sociais – UNESP Araraquara / Membro da Embaixada Euclidiana

Lucia Lodo
Licenciatura e Bacharelado em Ciências Sociais – Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Marco Antônio Boaro
Especialização em Gestão Escolar – Faculdade Bandeirantes / Especialização em Psicopedagogia Institucional na Área de Educação – Faculdade da Aldeia de Carapicuíba / Especialização em História do Brasil – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Pardo (FFCL) / Graduação em Geografia e Letras – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Pardo (FFCL)

Marco Antônio Gumieri Valério
Pós-graduação em Contabilidade Pública e Responsabilidade Fiscal – UNINTER / Bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais – Fundação de Ensino Octávio Bastos / Graduação em Ciências Biológicas – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Pardo (FFCL) / Graduação em Administração – Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL) / Membro do Conselho Euclidiano

Marco Haurélio
Graduado em Letras – Universidade do Estado da Bahia (UNEB) / Escritor, professor, pesquisador da literatura de cordel e do folclore brasileiro

Maria Aparecida Granado Rodrigues
Especialização em Análise do Discurso – Pontifícia Universidade Católica (PUC) / Especialização em Metodologia de Ensino e Aprendizagem em Língua Portuguesa – Faculdade de Educação São Luís / Especialização em Formação do Professor Universitário – Universidade Paulista (UNIP) / Especialização em La Enserñanza de Español Lengua – Universidade de Brasília (UnB) / Graduação em Letras – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Pardo (FFCL) / Membro do Conselho Euclidiano

Maria Olivia Garcia Ribeiro de Arruda
Doutorado em História e Teoria Literária – Universidade de Campinas (UNICAMP) / Especialização em Análise do Discurso – Pontifícia Universidade Católica (PUC-Campinas) / Graduação em Letras – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Pardo (FFCL) / Pesquisadora / Membro do Conselho Euclidiano

Maria Célia Barbosa
Líder do acampamento de luta por moradia popular rural “Via Férrea”, entre Itobi e Casa Branca

Marleine Paula Marcondes e Ferreira de Toledo
Pós-doutorado na Escola Internacional de Doutoramento da Universidad de Vigo, EIDO, Espanha / Doutorado em Letras Clássicas pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras – Universidade de São Paulo (USP) / Graduação em Letras e Direito – Universidade de São Paulo (USP)

Nicola Souza Costa
Graduação em História – Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP) / Pesquisador/ Escritor

Paulo Sérgio Herculano
Pós-graduação em Direito Municipal / Bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais – Fundação de Ensino Octávio Bastos / Membro do Conselho Euclidiano

Pedro Lima Vasconcellos
Livre-docência em Ciências da Religião – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Pós-Doutorado – Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Doutorado em Ciências Sociais - Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP). Mestrado em Teologia – Associação São Paulo de Estudos Superiores – Instituto Teológico São Paulo (ITESP). Mestrado em Ciências da Religião – Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Bacharelado em Teologia – Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção (FTNSA)

Rachel Aparecida Bueno da Silva
Mestrado em Educação (Área de História, Filosofia e Educação) – Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) / Graduação em Letras – Universidade São Francisco / Graduação em Pedagogia – Faculdades Integradas de Amparo

Renan Cesar Petrasso
Especialização em Gestão Pública – Universidade de São Carlos (UFSCar) / Graduação em Administração de Empresas – Faculdade de Monte Alto (FMA) e Faculdade de Administração e Negócios (FAN) / Membro da Embaixada Euclidiana

Rosangela Aparecida Gomes
Especialização em História – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Pardo (FFCL) / Graduação em História – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Guaxupé / Graduação em Estudos Sociais e Pedagogia – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Pardo (FFCL) / Membro do Conselho Euclidiano

Sérgio Luís de Castro Júnior
Graduando em Engenharia de Biossistemas – Universidade de São Paulo (USP) / Vencedor dos Trabalhos Acadêmicos Euclidianos 2015 / Membro da Embaixada Euclidiana

Sílvia Beatriz Adoue
Doutorado em Letras (Língua Espanhola e Literatura Espanhola e Hispano-americana) – Universidade de São Paulo (USP) / Mestrado em Integração da América Latina – Universidade de São Paulo (USP) / Licenciatura em Matemática – Universidade de São Paulo (USP)

Talita Yosioka Collacio
Mestrado em Culturas e Identidades Brasileiras – Instituto de Estudos Brasileiros – Universidade de São Paulo (USP) / Licenciatura em Letras (Português e Linguística) – Universidade de São Paulo (USP) / Vencedora dos Trabalhos Acadêmicos 2016

Valéria Ferreira
Mestrado em Teoria Literária – UNESP Araraquara / Licenciatura em Letras - UNESP São José do Rio Preto


OFICINAS PEDAGÓGICAS E CULTURAIS

5º ano: Brincadeiras do sertão – Rafael Bezerra da Costa e Leandro Leal de Freitas
6º ano: Fanzine – Sérgio Luís de Castro Júnior e Renan Cesar Petrasso
7º ano: A influência da obra de Euclides da Cunha nas artes plásticas - Arioswaldo Rizzo de Andrade
8º ano: Práticas corporais da época de Euclides da Cunha – Christiano dos Santos
9º ano: Euclides da Cunha e o meio ambiente – Rodrigo Vieira de Moares


PROGRAMAÇÃO GERAL

04/08

18h – Cerimonial da Abertura do  J.O.S.E (Jogos da Semana Euclidiana)
Local: Ginásio Municipal de Esportes (Tartarugão)

18h30 – Início das Competições Esportivas
Local: Ginásio Municipal de Esportes (Tartarugão)
Os jogos serão realizados de 04 a 11 de agosto


08/08

19h30 – Banda Sinfônica Jovem e Orquestra Sinfônica Jovem do Conservatório de Tatuí – Polo em São José do Rio Pardo  
Local: Fábrica de Expressão (Rua Francisco Glicério, 64)


09/08

09h – Desfile de abertura da Semana Euclidiana
Tema: “Influências Literárias sobre Euclides da Cunha”
Local: Rua Francisquinho Dias

14h30 – Abertura Oficial dos Ciclos de Estudos
Conferencista de Abertura: Rachel Aparecida Bueno
Tema: “Euclides como escritor político”
Local: Fábrica de Expressão (Rua Francisco Glicério, 64)
Participação Especial: Coral Fonseca

19h30 – Abertura Performática
Tema: “Aqui nasceu Os Sertões
Local: Recanto Euclidiano, s/nº

Estação Food Truck (a partir das 18h)
Local: Ginásio de Esportes (Tartarugão)
Participação da dupla: Leandro e Camila a partir das 21h

10/08
08h30 – Ciclos de Estudos Euclidianos
Local:  Área I - FEUC (Rua Jorge Tibiriçá, 451 – Centro) / Área II – Salão Nobre da E.E Euclides da Cunha – (Praça Oliveiros Pinheiros) /Área III – Salão da Fundação Educacional – (Av. Dep. Eduardo Vicente Nasser, 850)

14h – Oficinas Pedagógicas e Culturais
Local: FEUC (Rua Jorge Tibiriçá, 451 – Centro)

19h – Express Sax Band – Regência: Jota Lobo
Local: Epidauro (Praça Oliveiros Pinheiros, s/nº)


19h30 – Apresentação da Revista Acadêmica Euclidiana da UNIP Rio Pardo
Local: Campus UNIP Rio Pardo (Rua Santa Terezinha, 126)

19h30– Espetáculo Cia D’Artes
Local: Epidauro (Praça Oliveiros Pinheiros, s/nº)

Estação Food Truck – a partir das 16h
Local: Ginásio de Esportes (Tartarugão)

11/08

08h30 – Ciclos de Estudos Euclidianos
Local:  Área I - FEUC (Rua Jorge Tibiriçá, 451 – Centro) / Área II – Salão Nobre da E.E Euclides da Cunha – (Praça Oliveiros Pinheiros) /Área III – Salão da Fundação Educacional – (Av. Dep. Eduardo Vicente Nasser, 850)

14h – II Encontro Científico de Trabalhos Acadêmicos Euclidianos
Local: Fundação Educacional São José do Rio Pardo (Avenida Deputado Vicente Nasser, 850 – Centro)

19h – Episódio Republicano
Local: Hotel Brasil (Rua Ananias Barbosa, 97 – Centro)
Orador Oficial: Marcos De Martini
Participação Especial: Núcleo Cênico de Artes Integradas Fabrica de Expressão

20h –  Peça Teatral do Circuito Cultural Paulista : “Oitenta e cinco anos de poesia e anarquia” – Direção: Renata Pallotini
(Convites gratuitos na Fábrica de Expressão – a partir do dia 07 de agosto)
Local: Fábrica de Expressão (Rua Francisco Glicério, 64)

Estação Food Truck (a partir das 18h)
Local: Ginásio de Esportes (Tartarugão)
Participação da Banda: Dinorock a partir das 20h

12/08

08h30 – Ciclos de Estudos Euclidianos
Local:  Área I - FEUC (Rua Jorge Tibiriçá, 451 – Centro) / Área II – Salão Nobre da E.E Euclides da Cunha – (Praça Oliveiros Pinheiros) /Área III – Salão da Fundação Educacional – (Av. Dep. Eduardo Vicente Nasser, 850)

09h30 – Concurso Infanto-Juvenil de Desenho e Poesia: Euclides e São José
Local: Casa de Cultura Euclides da Cunha

14h -  Cordelista Marco Haurélio
Tema: “ Os sertões de Euclides da Cunha e os nossos sertões”
Local: Fábrica de Expressão (Francisco Glicério, 64 – Centro)

Estação Food Truck (a partir das 16h)
Local: Ginásio de Esportes (Tartarugão)
Participação da Banda: Dinoritmos (a partir das 20h)

13/08

08h30 – Ciclos de Estudos Euclidianos
Local:  Área I - FEUC (Rua Jorge Tibiriçá, 451 – Centro) / Área II – Salão Nobre da E.E Euclides da Cunha – (Praça Oliveiros Pinheiros) /Área III – Salão da Fundação Educacional – (Av. Dep. Eduardo Vicente Nasser, 850)

Estação Food Truck (a partir das 12h)
Local: Ginásio de Esportes (Tartarugão)
Participação da Banda: Six no Rust

14/08

08h30 – Ciclos de Estudos Euclidianos
Local:  Área I - FEUC (Rua Jorge Tibiriçá, 451 – Centro) 

09h – Papo reto: “Entre guerras: relatos de um fotojornalista” - Com Joel Silva (Áreas II e III)
Local: Fábrica de Expressão (Rua Francisco Glicério, 64)

14h – Papo reto: “O que representa Canudos na atualidade?” – Com Sílvia Beatriz Adoue e Maria Célia Barbosa
Local: Fábrica de Expressão (Rua Francisco Glicério, 64)

19h – Conferência Oficial
Conferencista Oficial: Pedro Lima Vasconcellos
Tema: “Antônio Conselheiro: d’Os Sertões aos Apontamentos”
Local: Centro Cultural Ítalo Brasileiro (Rua Treze de Maio, 195)
Participação Especial Duo Fábrica de Expressão – Piano: Maria Tereza Ratti de Oliveira e Wagner Bracci)

15/08

08h – Maratona Intelectual Euclidiana
Local: FEUC (Rua Jorge Tibiriçá, 451 – Centro)

14h30 – Encerramento da Semana Euclidiana
Orador Oficial: Leandro Leal de Freitas
Tema: “Sempre-maratonista: a trajetória de um estudante euclidiano-conselheirista”
Apresentação do Espetáculo: “E as sementes florescem...”


Local: Recanto Euclidiano , s/nº
A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, chapéu e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: planta e atividades ao ar livre
" E o sertão é um vale fértil .É um pomar vastíssimo, sem dono."
Euclides da Cunha